ACIDIFICAÇÃO DOS OCEANOS

 

A queima de combustíveis fósseis, desde o início da primeira revolução industrial, tem elevado os níveis de dióxido de carbono na atmosfera, um gás estufa, pois tem a capacidade de reter calor, sendo apontado pela causa do processo de aquecimento global. Este aquecimento tem grande potencial de causar mudanças climáticas com impacto na integridade das calotas polares, nos níveis dos oceanos e no regime de chuvas, afetando a biodiversidade global nos meios terrestres e aquáticos.

 

Além do aquecimento, a elevação das concentrações atmosféricas de dióxido de carbono afeta os oceanos de outra forma. Parte do dióxido de carbono tem sido absorvida pelos oceanos, onde, reage com água e forma compostos ácidos que diminuem o pH dos oceanos. Os ácidos afetam negativamente alguns organismos aquáticos que possuem esqueletos calcários, como, algumas algas, organismos do zooplâncton, corais, esponjas e moluscos, pois os ácidos dissolvem suas conchas, retirando delas bicarbonato, o acaba matando estes organismos.

 

A acidificação dos oceanos atual é comparável a outras que ocorreram no passado, por exemplo, quando um imenso meteoro caiu na Terra a 65 milhões de anos atrás, provocando incêndios globais que desestruturam o ecossistemas terrestres e aumentaram a quantidade de dióxido de carbono nos oceanos. Este processo provocou extinção de 90% da vida no planeta.

Please reload

Featured Posts