A CÓLERA AINDA É UM PROBLEMA DE SAÚDE EM MUITOS PAISES

A cólera é uma bacteriose causada pela bactéria Vibrio cholerae. Causa cãibras e uma diarreia aquosa, que pode levar rapidamente a grave desidratação e a morte. É transmitida oralmente, por água e alimentos contaminados com fezes humanas infectadas com a bactéria. Ocorre, principalmente, em países pobres com saneamento precário, sendo considerada, atualmente, por alguns especialistas, como uma doença pandêmica. Neste sentido, o Brasil pode se tornar suscetível a doença. Além de investimentos em saneamento e higiene, evitar o consumo de alimentos crus são medidas preventivas em áreas de risco. A doença tem mortalidade baixa, se adequadamente tratada com antibióticos e reposição hídrica, mas mesmo assim, o CDC (Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos) estima que 2,9 milhões de casos e 95.000 mortes ocorrem a cada ano no mundo. Desde 1817, houve sete pandemias globais de cólera. A sexta ocorreu durante a primeira guerra mundial e a sétima persiste desde de 1961. O número de vítimas da doença e a persistência da atual pandemia, estimula pesquisas sobre a bactéria causadora. Em um estudo recente, envolvendo uma comparação genômica e da agressividade em amostras preservadas durante os últimos dois séculos, mostraram a existência de diferentes variedades (cepas), inclusive de uma existente no oriente médio, que há cerca de 100 anos, que não possuía flagelo e, segundo estatísticas do exército britânico, que ocupava a região durante a primeira guerra, raramente causava morte nos soldados doentes. O estudo mostrou que atualmente, esta cepa tornou-se flagelada e mais agressiva. Ela evoluiu. Uma das possibilidades de explicação do processo evolutivo seria a intervenção de bacteriófagos, que poderiam ter transferido genes de cepas flageladas e mais agressivas para a esta variedade. Este processo é chamado transdução bacteriana e é capaz de modificar geneticamente as bactérias.

 

Fonte 1

Fonte 2

Fonte 3