ESTRADAS MAIS AMIGÁVEIS AOS ANIMAIS

 

 

A população humana cresceu muito nos últimos séculos, bem como, suas necessidades por alimento, água e outros recursos naturais. Áreas naturais foram ocupadas e modificadas para agropecuária, urbanização e para funcionar como vias de transporte, como ferrovias e rodovias.

 

Para preservar a vida selvagem, algumas áreas são preservadas ou tem seu uso regulado, consistindo em reservas ambientais. Mas os animais, alheios aos limites para eles reservados, tentam se deslocar e encontram obstáculos perigosos, como, estradas e muitos acabam sendo atropelados.

 

Visando reduzir este impacto, em muitos países as estradas estão se tornando mais amigáveis à vida selvagem. Em locais mais propensos a passagem de animais pelas rodovias, estão sendo construídas cercas laterais, viadutos verdes e passagem subterrâneas.

 

Além de evitar os atropelamentos, as vias controladas de passagem permitem que os animais realizem suas migrações naturais, explorem áreas de alimentação mais amplas, fujam de incêndios e, principalmente, se comuniquem com mais facilidade com outras populações da mesma espécie, permitindo um fluxo genético entre as populações de diferentes áreas, o que aumenta a variabilidade genética das espécies, aumentando as chances de sobrevivência da espécie. Esta última importância está inserida na estratégia de preservação da vida selvagem chamada de corredores de biodiversidade.