AS "QUENTINHAS" PARA VIAGENS ESPACIAIS.

 

 

O consumo de alimentos é uma necessidade básica diária dos seres humanos. Ele fornece nutrientes energéticos como carboidratos e lipídios e construtores como proteínas, além de vitaminas regulatórias e sais minerais. Na Terra, obtemos facilmente os nutrientes a partir de alimentos de origem animal e vegetal brutos ou processados. Mas no espaço a alimentação é adaptada a uma série de condições especiais, como, a limitação de espaço das instalações, o preparo e a conservação. A ausência de gravidade dificulta o prepara e mesmo o ato de se alimentar. Então, o que os astronautas comem durante o período que passam no espaço?

 

O primeiro homem no espaço, foi o cosmonauta russo Yuri Gagarin, que em 1961 a bordo na nave Vostok-1 deu uma volta em órbita da Terra, em uma missão curta planejada para durar poucas horas, portanto, uma alimentação especial não deve ter sido uma prioridade na missão de Gagarin.

 

 

Alguns anos após a missão pioneira russa, missões espaciais que duravam alguns dias começaram a ser realizadas pelos programas espaciais da União Soviética e dos Estados Unidos e a alimentação espacial precisou receber uma maior atenção. A princípios eram preparados na forma de pastas em tubos e de bloco sólidos. A prioridade era fornecer uma dieta balanceada, com os nutrientes necessários ao bom funcionamento, estética e paladar não eram uma prioridade. Mas durante o programa espacial americano, algo inusitado aconteceu, uma astronauta que já tinha participado de algumas viagens ao espaço fez um contrabando de um sanduíche de peru para comer no espaço. Embora criticada, por ter colocado em risco os delicados equipamentos da nave, e a sua própria saúde, ao correr o risco de uma intoxicação alimentar, a contrabandista espacial levantou uma importante questão, a alimentação não era só uma questão nutricional, mas interferia no moral dos tripulantes.

 

 

 

A partir do episódio, melhoras na alimentação dos tripulantes foram realizadas. Comidas reidratadas variadas foram introduzidas no cardápio, facilmente preparadas com um pouco de água quente.

 

 

Atualmente, na medida do possível o cardápio dos tripulantes da estação espacial tenta ser mais próximo possível da alimentação terrestre, sendo permitido o consumo de frutas e legumes frescos sempre que possível. O destaque é dado a alimentos liofilizados, pratos que foram congelados a -30ºC e perderam a água por processo de sublimação. Este processo é seguro do ponto de vista sanitário, pois, produz uma refeição livre de microrganismos, que embalada a vácuo, dura anos sem necessidade de refrigeração. É leve e ocupa pouco espaço no armazenamento. É facilmente preparada, bastando adicionar água aquecida, e principalmente, é aplicável em diferentes tipos de alimentos, como, arroz, feijão, batatas macarrão, carnes, purês e frutas