O super genoma das baratas.

Baratas despertam medo e nojo na maioria das pessoas. Mas também são fascinantes, pelos menos aos olhos da biologia, pois são organismos muito resistentes. Vivem em ambientes estressantes, como esgotos, que são cheios de vírus e bactérias causadoras de doenças na maioria dos animais. Localizam alimentos com muita facilidade com seu poderoso olfato. Podem comer praticamente qualquer coisa, de apetitosos doces à fezes. São resistentes a muitos inseticidas. E ainda, podem regenerar patas perdidas.

 

Os superpoderes das baratas estão começando a ser decifrados por uma pesquisa genética feitas por cientistas chineses, recentemente publicada na Revista Nature. A análise do seu genoma, detectou um enorme número de genes, quando comparados com outros insetos. Cerca de 21.000 genes. Outro fato impressionante, foi a constatação que 95% dos genes do  genoma são ativos, ou seja, expressos em proteínas. Para uma comparação, o genoma humano possui cerca de 25.000 genes, mas cerca de 50%, não são expressos em proteínas. A grande quantidade e diversidade de genes nas baratas é o segredo das suas habilidades. Mais de mil genes estão envolvidos com produção de proteínas receptoras de sinais químicos ambientais, que explicam sua grande habilidade de localizar pelo olfato e paladar diferentes fontes alimentares e evitar substâncias tóxicas. Há muitos genes envolvidos com a produção de enzimas que dão resistência a inseticidas e a substâncias tóxicas, pois são capazes de destruí-las. Na coleção genômica das baratas a