Prof. Marco Nunes

Editor do  Nerd Cursos - Biologia

Um portal de materiais de estudos para o Enem e vestibulares

Vitória da Conquista - Bahia - Brasil

Contato: profmanunes@gmail.com

Se preferir comentar por email.

ROTEIRO DO PODCAST

9 – A Evolução Antes de Darwin I – Os Filósofos Gregos

 

¯Música de Abertura: Pearl Jam - Do The Evolution.

 

Olá estudantes! Sou o professor Marco Nunes e este é o podcast semanal do Nerd Cursos, um portal gratuito de materiais de apoio ao estudo para o Enem e vestibulares. O tema deste podcast é biológico e filosófico, nele tratarei sobre a evolução dos seres vivos, sob o ponto de vista de alguns filósofos da Grécia antiga. 

 

A evolução é muito relacionada a Charles Darwin, o naturalista inglês, que no meio do século XIX, revolucionou a ciência, ao propor que os seres vivos possuíam uma origem em comum, que as espécies sofriam modificações no decorrer do tempo, por um processo de seleção natural, que privilegiava a sobrevivência e reprodução dos mais aptos, podendo dar origem a novas espécies. Mas a ideia de a vida sofrer mudanças, não foi defendida primeiramente por Darwin, alguns filósofos gregos, já exploravam o conceito, há mais de 2000.

 

U Sinal de início da aula

 

¯Para discutir a visão grega sobre a evolução dos seres vivos, vou fazer uma breve introdução da filosofia grega em seu início. Ao fundo você ouve uma música de Bach, a sinfonia Partila para Violino número 3.

 

Os primeiros filósofos gregos são conhecidos como filósofos da natureza. Buscavam nos elementos natureza as respostas sobre a origem do ser e do mundo. Fazem parte deste time, Tales, Anaximandro, Anaxímenes, Pitágoras, Heráclito, Zenão, Demócrito, Xenófanes, Leucipo e Parmênides. Dentro da filosofia naturalista, existiu várias correntes ou escolas filosóficas, entre elas, destacarei, pelo contexto do podcast, a Jônica e a Eleática. A escola Jônica se preocupava com a cosmologia, o estudo efetivo da essência da natureza e do cosmos. A filosofia de Heráclito de Éfeso representava bem esta escola. Segundo Heráclito, “tudo flui”, o mundo está sempre em transformação, inclusive os seres vivos. A ideia de seres vivos em transformação era aceitável.

 

A escola Eleática, por outro lado, se preocupava mais com a ontologia, concentrando-se no princípio da identidade, ou seja, no ser. A filosofia de Parmênides, é um bom exemplo do pensamento desta corrente filosófica. Parmênides, defendia o princípio da identidade do ser, a busca pelo absoluto, nas palavras de Parmênides, “o que é...é, o que não é..., não é.”, ou seja, tudo sempre existiu e não muda. Portanto, no que diz respeito a evolução dos seres vivos, ela não ocorreria.

 

A ideia de seres vivos evoluindo, já era defendida pelo filósofo grego Anaximandro, que nasceu no século VII antes de cristo, na cidade-estado grega de Mileto. Anaximandro afirmava que o princípio vital do universo era uma substância indefinida, indeterminada e desconhecida, que ele chamou de Ápeiron, na qual tudo teria origem e para a qual tudo voltaria no final, inclusive os seres vivos. Anaximandro foi um precursor da teoria da evolução, propondo uma explicação para a origem do homem. Ele afirmou que o homem nasceu coberto de escamas, numa substância aquosa, uma espécie de lama, e uma vez que no começo, as condições ambientais não eram favoráveis para a sua sobrevivência, o homem foi mantido em um estado de incubação, na boca de animais semelhantes a peixes. Só depois disto, pôde sair ao ar livre e sobreviver sozinho.

 

¯Você ouviu, Raul Seixas, com Peixuxa (O Amiguinho dos Peixes).

 

Um segundo filósofo da natureza, que deve ser lembrado no contexto da evolução dos seres vivos é Xenófanes. Este filósofo, viveu no século VI antes de cristo. Foi um discípulo de Anaximandro, mas contrariando seu mestre, ele defendia que o princípio de todas as coisas, seria a terra. Uma síntese do seu pensamento sobre isto seria: “... tudo sai da terra e tudo volta à terra...”. Xenófanes observou peixes fósseis e conchas em terra firme, e concluiu que a terra onde eles foram encontrados, tinha sido subaquática no passado. Portanto, Xenófanes intuiu, que o mundo não era estático, mas sim dinâmico.

 

Outro filósofo grego que deve ser destacado como pioneiro no pensamento evolutivo é Empédocles. Ele acreditava que a natureza era baseada em quatro elementos: a terra, o ar, o fogo e a água. Esses quatro elementos diferentes se combinavam e depois voltavam a se separar, para então, se combinarem novamente. O que unia e desunia os quatro elementos eram dois princípios: o amor e o ódio. Os quatro elementos e os dois princípios seriam eternos e imutáveis, mas as substâncias formadas por eles seriam pouco duradouras. A efemeridade se aplicaria inclusive a vida. Empédocles imaginou a Terra em seus primórdios povoada por criaturas estranhas - gado com cabeças humanas, com braços sem ombros, e todos os tipos de outras criaturas monstruosas. Segundo ele, essas formas de vida estranhas, tornaram-se extintas, e apenas os seres vivos melhores adaptados sobreviveram. Empédocles apresentou, portanto, uma ideia bruta da seleção natural de Darwin, mas ele, não percebeu que o processo poderia levar à formação de novos tipos de seres vivos, mas que simplesmente removia da natureza, criaturas monstruosas, não bem adaptadas ao ambiente.

 

Mas nem todos os filósofos gregos argumentaram a favor da evolução dos seres vivos. Aristóteles e Platão, dois filósofos pós-socráticos, se opunham à ideia de mudanças nos seres vivos.

 

Platão, um discípulo se Sócrates, que nasceu em Atenas no século IV antes de Cristo, defendia a existência de um demiurgo, um artesão divino ou o princípio organizador do universo que, criou o cosmos e todos os seres vivos, em formas eternas, esteticamente perfeitas e com fins racionais no mundo das ideias. Platão aceitava a existência de variabilidade dos seres vivos no mundo real, em torno das formas perfeitas, criadas no mundo das ideias, onde tudo era eterno. Os pressupostos platônicos a respeito da origem da Terra e dos seres vivos tiveram muita influência no mundo ocidental, fundamentando o criacionismo cristão e o conceito fixista das espécies.

 

¯Você ouviu, a música da dupla sertaneja Daniel & Samuel, Ápice da Evolução.

 

Já Aristóteles, outro filósofo pós-socrático do século IV antes de cristo, discípulo de Platão, era um forte oponente das ideias evolucionistas de Empédocles. Aristóteles defendia que tudo, inclusive os seres vivos teriam sido criados intencionalmente para um determinado fim, de forma gradual, do simples para o mais complexo, cujo o homem seria o projeto final mais evoluído. Aristóteles defendeu também que os seres vivos brotavam a partir dos seus pais, em um processo reprodutivo, essa teoria seria chamada mais tarde de biogênese. Mas por outro lado, afirmava que alguns seres vivos poderiam surgir de forma espontânea, não a partir dos pais, mas vindos da terra em putrefação ou da matéria vegetal, como seria para ele, o caso de muitos insetos. A geração espontânea da vida a partir da matéria morta ficou conhecida como abiogênese. Apesar dos conceitos equivocados aqui apresentados, Aristóteles é um nome muito importante na biologia, ciência em que ele é considerado o pai. Aristóteles, dissecou muitos animais e produziu a sua própria classificação da vida, colocando os animais em grupos de acordo com características que tinham em comum. Chamou cada um destes grupos de gênero, e dentro de cada gênero incluiu diferentes espécies com base em suas características, um método seguido no século XVIII por Lineu, que criou um sistema de classificação dos seres vivos, que é utilizado, com algumas modificações, até hoje. Apesar de negar a evolução dos seres vivos, Aristóteles com seus estudos biológicos sobre a anatomia dos animais, influenciou evolucionistas, como, Lamarck e Darwin.

 

O podcast acaba por aqui, mas nossa interação pode continuar em www.nerdcursos.com.br/podcasts. Lá você pode ler o roteiro do programa, acessar links e alimentar o podcast com dúvidas e comentários que podem dar origem a outros programas.

 

Gostaria de agradecer ao Professor de Filosofia e sociologia e também jornalista Caíque Santos pela consultoria neste episódio biológico e filosófico.

 

Participaram deste episódio: na abertura Pearl Jam com Do The Evolution, durante o episódio Bach (Partila para Violino número 3 em Emaior), Raul Seixas, a dupla Daniel & Samuel e eu, o professor Marco Nunes, sempre querendo que vocês sejam os mais aptos nas provas do Enem e vestibulares.

 

E para terminar uma frase do filósofo grego Anaximandro:

 

“Todos os seres derivam de outros seres mais antigos por transformações sucessivas. ”

 

U Sinal de final da aula

Ligue

Tel: em breve

Contato

 

Siga

© 2015 por NERD CURSOS

  • facebook
  • YouTube Social  Icon